APOIO
eve

A Kaaysá, espaço independente de residência artística localizado no litoral norte de São Paulo, promove, em parceria com a Casa da Porta Amarela, o Prêmio Bolsa Kaaysá. Destinada a escritores brasileiros e estrangeiros que estiverem em Paraty, durante a 16ª edição da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) entre os dias 25 e 29 de julho, a iniciativa oferecerá ao vencedor um mês de estadia em um dos programas de residência da Kaaysá.

Para se inscrever, os interessados devem enviar à organização uma biografia resumida (com no máximo 300 palavras) e uma carta descrevendo o projeto que pretendem desenvolver durante a vivência em Boiçucanga (até 500 palavras). Os textos devem ser enviados para o e-mail info@kaaysa.com.br, até 20 de julho.

A seleção será feita por Julián Fuks, escritor e crítico de literatura brasileiro, vencedor do Prêmio Jabuti de 2016, e um dos participantes da residência da Kaaysá em 2017. O resultado será anunciado pelas organizadoras da residência no dia 26 de julho, a partir das 19h, n’A Casa da Porta Amarela. Na ocasião, o espaço irá sediar dois bate-papos abertos ao público:

Às 19h | Uma floresta toda sua: o resgate do corpo feminino selvagem
As escritoras Lucila Mantovani, Laura Del Rey e Sheyla Smanioto refletem sobre como o resgate do corpo selvagem e aproximações com a natureza podem estimular uma escrita menos mental. Uma floresta toda sua evoca o título da obra Um teto todo seu, de Virginia Woolf, propondo reflexões sobre o que significa ser uma escritora-brasileira-mulher hoje, expandindo para uma busca pelo feminino na literatura de forma que ultrapassa a condição de gênero.

Às 20h | Residências artísticas em debate: retração e expansão da vida e do processo criativo
O número de residências artísticas no Brasil e no mundo tem crescido, atendendo uma demanda latente por complementação ou resistência a modelos mais tradicionais de formação e produção criativa. O quadrinista Rafael Coutinho (Baiacu) e Lucila Mantovani (Kaaysá) contam sobre suas experiências como residentes e organizadores de residências artísticas.

Kaaysá Art Residency
Do tupi-guarani, a palavra Kaaysá significa “aquele que vive na mata perto do mar”, uma designação legítima para a proposta do intercâmbio artístico. O projeto nasceu da idealização de Lourdina Rabieh e Lucila Mantovani em transformar a região de Boiçucanga em um polo cultural e em dar oportunidade para artistas brasileiros e estrangeiros de vivenciarem a mata e o oceano atlântico através de um prisma criativo.

“É uma região com potencial para ser um centro de criação e encontro entre autores e artistas de diversas nacionalidades. A proximidade com a capital paulista traz respiro cultural para comunidade local e vigor criativo aos residentes”, afirmam as organizadoras.

A estrutura da Kaaysá dispõe de espaços para uso coletivo como ateliê, estúdio audiovisual, laboratório de fotografia, biblioteca e marcenaria, além de cerca de 36 alojamentos. O espaço, hoje sob coordenação da escritora e pesquisadora Lucila Mantovani e da galerista Lourdina jean Rabieh, recebe escritores, artistas visuais, fotógrafos, curadores, arquitetos, músicos, dançarinos e outros profissionais criativos para imersões na natureza e trocas multidisciplinares.

Os programas, individuais e coletivos propõem bate-papos com curadores convidados, artistas, escritores e outros profissionais, além de vivências com a população local, roteiros de trilhas para imersão na natureza local, estudos com pesquisas sobre a Mata e o Oceano Atlântico. Mais informações em www.kaaysa.com.br.