APOIO
quarta-feira, 2 de maio de 2018
bicho-de-sete-cabecas

De 08 de maio a 15 de junho, terças, às 20h, o Sesc Santana apresenta a Retrospectiva Laís Bodansky, que reunirá além de longas metragens consagrados pela crítica, curtas metragens pouco conhecidos pelo grande público. Os filmes serão seguidos por debates conduzidos pela pesquisadora Tamara Ka.

Além de ter recebido vários prêmios por sua obra, (Festival de Brasília, Festival de Gramado, Grande Prêmio do Cinema Brasileiro), a cineasta desenvolveu o projeto Cine Mambembe, que realizou a exibição de filmes brasileiros para públicos que não tinham acesso as salas de exibição. Essa experiência ficou registrada no documentário “Cine Mambembe, o cinema descobre o Brasil” (1999), premiado como melhor documentário no Festival de Havana .

Laís Bodanzky estudou cinema na FAAP e graduou-se em Geografia pela Universidade de São Paulo, dirigiu filmes e curta metragens tais como: Cartão Vermelho (1994), Bicho de Sete Cabeças (2001), Chega de Saudade (2008) e Como Nossos Pais (2017).
Tamara Ka, doutora pela ECA/USP, atua nas áreas de Comunicação, Linguagem Audiovisual e Psicologia, operando no âmbito da comunicação midiática e artes contemporâneas. Publicou seus trabalhos em revistas, e o livro “Memória do Efêmero”. Como videomaker e oficineira tem trabalhado com o Sesc, Instituto Tomie Ohtake, entre outras instituições.

Confira a programação completa:

Cine Mambembe: O Cinema Descobre o Brasil | 08/05, terça, às 20h
(Dir.: Laís Bodansky, Luiz Bolognesi. BRA, 1999, 56′. Color. Livre)
A viagem de Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi pelo interior do Brasil, exibindo curtas metragens brasileiros em praças públicas. Do sul da Bahia aos confins da Amazônia, este documentário descobre um país que assiste ao cinema e se vê na tela pela primeira vez, às vésperas do século 21. O que se vê e ouve é surpreendente.
Vencedor do prêmio de Melhor Documentário no Festival de Havana e no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, e Prêmio Especial do Júri no Festival de Gramado.

Cartão Vermelho /Levanta o Braço / Diretor de Harmonia | 15/05, terça, às 20h
:: Cartão Vermelho
(BRA, 1994, 14′. Color. Livre)
O filme revela o mundo de Fernanda, uma adolescente que joga futebol com os meninos, no momento em que é surpreendida pelos desejos de mulher.
:: Educação.Doc: Levanta o Braço
(BRA, 2014, 26′. Color. Livre.)
A Chapada Diamantina é uma região pobre, localizada no interior da Bahia e que está chamando a atenção dos especialistas, pela surpreendente qualidade do ensino em 20 municípios da região. Tudo isso tem uma explicação muito especial: eles conseguiram que as mudanças na política, não interrompam os projetos na educação.

:: Educação.Doc: Diretor de Harmonia
(Dir.: Luiz Bolognesi, Laís Bodansky. BRA, 2014, 26′. Color. Livre.)
Além de se abrir para a comunidade, a Escola Municipal Presidente Campos Salles está dando uma aula de democracia. Localizada em uma das maiores favelas de São Paulo em Heliópolis, essa escola sem muros, está conseguindo virar o jogo na luta contra a violência. Enquanto em Andaraí, no Rio de Janeiro, a Escola Municipal Epitácio Pessoa precisa pedir para os alunos irem para casa, porque lá eles gostam mesmo é de estudar!

Bicho de Sete Cabeças | 22/05, terça, às 20h
(Dir.: Laís Bodansky. BRA, 2000, 74min. Color. 14 anos.)
Como todo adolescente, Neto (Rodrigo Santoro) gosta de desafiar o perigo e comete pequenas rebeldias incompreendidas pelos pais, como pichar os muros da cidade com os amigos, usar brinco e fumar um baseado de vez em quando. Nada demais. Mas seus pais (Othon Bastos e Cássia Kiss) levam as experiências de Neto muito a sério e, sentindo que estão perdendo o controle, resolvem trancafiá-lo num hospital psiquiátrico.
No manicômio, Neto conhece uma realidade desumana e vive emoções e horrores que ele nunca imaginou que pudessem existir. Vencedor do prêmio de Melhor Filme nos festivais de cinema de Brasília, Recife, e Grande Prêmio do Cinema Brasileiro.

Chega de Saudade | 29/05, terça, às 20h
(Dir.: Laís Bodansky. BRA, 2007, 95 min. Color. 12 anos)
História ambientada durante uma noite de baile, num clube de dança em São Paulo. A trama começa ainda com a luz do sol, quando o salão abre suas portas, e termina ao final do baile, pouco antes da meia-noite, quando o último frequentador desce a escada.
O espectador acompanha, em uma única noite, os dramas e as alegrias de cinco núcleos de personagens frequentadores do baile. Mesclando comédia e drama, Chega de Saudade aborda o amor, a solidão, a traição e o desejo, num clima de muita música e dança. Vencedor do prêmio de Melhor Filme no Festival de Cinema de Brasília.

As Melhores Coisas do Mundo | 05/06, terça, às 20h

(Dir.: Laís Bodansky. BRA, 2010, 100′. Color. 14 anos.)
Mano tem 15 anos, adora tocar guitarra, sair com os amigos e andar de bike. Um acontecimento na família faz com que ele perceba que virar adulto não é brincadeira. O bullying na escola, a primeira transa, o relacionamento em casa, as inseguranças, os preconceitos e a descoberta do amor transformam a adolescência numa travessia nada simples. Vencedor do Trófeu APCA de Melhor Diretor e Melhor Roteiro.

Como Nossos Pais | 12/06, terça, às 20h

(Dir.: Laís Bodansky. BRA, 2017, 102′. Color. 14 anos.)
Rosa é uma mulher que quer ser perfeita em todas suas obrigações: como profissional, mãe, filha, esposa e amante. Quanto mais tenta acertar, mais tem a sensação de estar errando. Filha de intelectuais dos anos 70 e mãe de duas meninas pré-adolescentes, ela se vê pressionada pelas duas gerações que exigem que ela seja engajada, moderna e onipresente, uma super-mulher sem falhas nem vontades próprias. Até que em um almoço de domingo, recebe uma notícia bombástica de sua mãe. A partir desse episódio, Rosa inicia uma redescoberta de si mesma. Vencedor do prêmio de Melhor Filme nos festivais de Gramado e Vitória.