APOIO
Fields360 cria websérie sobre HIV para Ministério da Saúde

Desenvolvida pela Fields360, a série Viva Mais SUS já abordou temas importantes, como tuberculose, hepatite, doação de sangue e microcefalia
No novo episódio da websérie Viva mais SUS, do Ministério da Saúde, vamos ao Rio Grande do Sul conhecer as histórias de Guilherme Kern Assumpção, jovem de 28 anos portador do vírus da AIDS, e Kelly Caroline Costa Portolan, uma mulher socialmente ativa que conta sobre as formas de prevenção à doença. O Rio Grande do Sul foi escolhido para o episódio por ser o estado com maiores índices de casos de HIV.

Cada história traz pontos importantes sobre a doença. No caso de Guilherme, é sobre mostrar que pessoas portadoras de HIV podem ter vidas normais graças aos avanços tecnológicos e novos remédios. Na de Kelly Caroline Costa Portolan, é sobre mostrar que existe mais de uma maneira de se prevenir contra a AIDS, e que a escolha de um método de prevenção deve ser feita com base nas necessidades do usuário. Além da história das duas personagens, depoimentos de profissionais da saúde trazem ainda mais informações para o espectador.
A websérie Viva Mais SUS conta histórias de pessoas impactadas pelos serviços oferecidos pelo Sistema Único de Saúde, ampliando o conhecimento em relação à atuação do serviço e como ele está presente em todos os momentos da vida dos brasileiros.
As histórias são contadas em tom realístico para que o público amplie seu conhecimento sobre a atuação do SUS e se identifique com as personagens. Assim, o episódio busca conscientizar ainda mais pessoas sobre a AIDS e as diversas maneiras de prevenção à doença.
Em seus 30 anos de atuação, o SUS já beneficiou mais de 200 milhões de pessoas, com diversos atendimentos feitos. Por isso, o projeto Viva Mais SUS, com suas webséries de 16 episódios, tem o objetivo de mostrar histórias reais de quem já contou com o apoio e os serviços oferecidos pelo SUS. Em episódios anteriores, a campanha já abordou os temas tuberculose, hepatite, doação de sangue, microcefalia, doação de leite materno e obesidade infantil.