APOIO
tumblr_mdqgu4XDog1qam7wso1_1280

No dia 21 de setembro, quinta-feira, o Cine Joia recebe a banda americana Vapors of Morphine. A Morphine, nome originário da primeira formação da banda que nasceu nos Estados Unidos nos anos 90, é precursora do estilo “low rock” e já contava, à época, com instrumentos incomuns para o gênero; saxofone e baixo de duas cordas acompanhado de bateria. Com rápida ascensão, a banda sofreu um golpe com o falecimento de seu líder, o vocalista Mark Sandam, em 1999.

Do luto, surge uma nova formação, já com o nome atual; Vapors of Morphine. Na nova fase, os membros originais Dana Colley (sax) e Jerome Deupree (bateria), se uniram ao guitarrista Jeremy Lyons que, após participações cada vez mais constantes com o duo e o claro entrosamento de ambos, viu na VOM sua nova morada. Juntos, produziram arranjos inventivos e únicos a partir do saxofone elétrico – que lembra o som produzido pelas guitarras de Jimi Hendrix. As músicas do Vapors of Morphine unem melodias psicodélicas da África Ocidental ao noise rock e delta blues.

Formada oficialmente em 2009 após tocar no show de tributo a Mark, que aconteceu em Palestrina, Itália, onde o mesmo faleceu, a banda lançou o álbum “The Ever Expanding Elastic Waste Band” ainda como Mosphine & Jeremy Lyons. Nos últimos anos, a VOM tem feito apresentações pontuais como no Festival Maquinaria (Chile, 2011); The New Orleans Jazz & Heritage Festival (USA, 2012) e no Mês da Cultura Independente (São Paulo, 2014), e também lançou seu segundo álbum, o “A New Low”, em 2016. Atualmente, a Vapors of Morphine está trabalhando em seu terceiro disco, ainda sem nome divulgado.

segunda-feira, 17 de julho de 2017
m:united//McCann cria projeto digital #MakeWhatsNext

O Brasil está cada vez mais conectado. Segundo pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP) para cada habitante haverá um smartphone em uso até o final de 2017. De olho neste comportamento, a Brazil Promotion – Live Marketing and Retail, maior feira de marketing promocional do Brasil, investe em inovação e interatividade trazendo para o evento o Midiacode (www.midiacode.com.br), aplicativo responsável por permitir que todo conteúdo informativo da feira seja guardado e compartilhado por meio do aparelho celular dos visitantes.

Materiais como apresentações, programação de palestras, mapa dos expositores, catálogos, preços dos produtos e informações gerais serão transformados em códigos que, ao serem capturados pelas lentes do celular ficam armazenados no celular e na nuvem, podendo não consumir a memória do dispositivo móvel. Outro benefício do uso da plataforma é em relação a redução de papéis impressos e distribuídos no evento, contribuindo com o meio ambiente e evitando que os visitantes carreguem panfletos em excesso.

“É necessário tornar os eventos mais inteligentes e sustentáveis, dando aos participantes a chance de acessarem e compartilharem os conteúdos adquiridos quando e onde quiserem. As pessoas vivem com os celulares nas mãos e as empresas têm que ocupar esse espaço com conteúdo informativo e útil para o dia a dia das pessoas, mesmo após a realização do evento”, explica Robson Lisboa, CEO e fundador do Midiacode.

A plataforma ainda gera dados analíticos para a organização do evento e expositores, permitindo promover ações cada vez mais alinhadas com os interesses e necessidades de seus públicos. “A Brazil Promotion é reconhecida como uma grande inspiradora de tendências e não podíamos deixar o mobile de fora. O uso do Midiacode traz muitos benefícios aos usuários, organizadores do evento e também para seus expositores, pois poderemos mensurar o que mais chamou a atenção das pessoas”, enfatiza Thais De Vitto, diretora de Novos Negócios da Brazil Promotion.

Nos próximos dias, os visitantes já credenciados receberão uma mensagem convidando a instalem o Midiacode em seus smartphones. Além disso, durante os três dias da Brazil Promotion, haverá um estande estimulando as pessoas a baixarem e utilizarem o serviço.

A 15ª edição da Brazil Promotion acontece entre os dias 1 e 3 de agosto, no Transamérica Expo Center. O evento reúne mais de 200 empresas, de todos os portes, com o que há mais moderno em brindes e presentes corporativos, produtos e serviços promocionais para ações de live marketing, além de gráficas especializadas, agências, soluções para o ponto de venda, serviços para eventos, marketing digital e soluções para o varejo. Entre os expositores já confirmados estão: Vivara, Swarovski, Zona Criativa, Samsonite, Copag, FOM, entre outros.

Captura de pantalla 2017-07-12 a las 19.49.47

O Inhotim realiza pela primeira vez uma exposição internacional, na sede do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), em Washington (EUA), entre os dias 18 de julho e 13 de outubro. A mostra Inhotim: at the Crossroads of Glocal Change reúne obras da coleção de arte contemporânea do museu e experiências audiovisuais inspiradas nos jardins do Parque. Com trabalhos dos artistas Iran do Espirito Santo, Luiz Zerbini, Olafur Eliasson e Vik Muniz, a exposição propõe uma reflexão sobre os impactos das mudanças climáticas e as ações que podem ser adotadas para reduzir os seus efeitos.

Para a diretora artística adjunta do Inhotim, María Eugenia Salcedo, a Instituição tem o potencial de influenciar a sociedade de forma individual e coletiva, fornecendo um modelo que pode ser reproduzido globalmente. “O Inhotim nos inspira a refletir sobre mudanças e ciclos. É um espaço que muda positivamente o ambiente no qual está inserido e, ao mesmo tempo, é mudado pelo ambiente”, diz a diretora.

A exposição é resultado de uma parceria com o BID, que viu no Inhotim um agente de mudança positiva “glocal” devido à maneira pela qual o Instituto combina arte, natureza e desenvolvimento humano. Cunhado pelo sociólogo Roland Robertson, o termo “glocal” é a junção das palavras global e local e refere-se à interdependência entre os dois contextos. Em seus 140 hectares de visitação, o Inhotim possui um acervo com obras de cerca de 250 artistas, de 30 nacionalidades, além de um Jardim Botânico com mais de 4.500 espécies botânicas de todos os continentes.

“O Inhotim é um exemplo da arte a serviço da Humanidade, tanto por suas ações a nível local de apoio à comunidade onde está localizado, quanto pela influência que pode exercer para o debate global sobre mudança climática”, afirma Trinidad Zaldívar, chefe da Divisão de Cultura, Criatividade e Solidariedade do BID.

Na mostra, as obras abordam elementos da natureza como água, terra e plantas, sempre impactados por ações humanas. Já as experiências audiovisuais apresentam o Inhotim desde uma perspectiva panorâmica aérea, uma visão microscópica e um registro de 360º. Um dos trabalhos apresentados é de autoria do coletivo artístico O Grivo, que produziu composições sonoras a partir de sons captados no Inhotim. Por meio de uma calculadora digital, o público poderá, também, medir suas emissões de carbono.

quinta-feira, 6 de julho de 2017
Skol apresenta Lee “Scratch” Perry no Cine Joia

Em agosto, Skol apresenta Lee “Scratch” Perry no Cine Joia. Jamaicano nascido em 1936, Lee é um dos nomes mais respeitados e expoentes da cena reggae e dubama na Jamaica e no mundo. Tendo seu trabalho refletido no desenvolvimento e aceitação dos gêneros ao longo das últimas décadas, o músico é, provavelmente, o primeiro “artista-produtor” criativo, na música gravada moderna, ocupando os altos níveis da indústria fonográfica ao lado de pioneiros como George Martin, Phil Spector e Brian Wilson.

A carreira musical de Perry começou no final da década de 1950, com o produtor Clement “Coxsone” Dodd em sua gravadora, a famosa Studio One, em Kingston. Depois de alguns anos de parceria, desacordos entre Perry e Dodd devido a personalidade e conflitos financeiros – um tema recorrente em toda a carreira de Perry – levaram-no a deixar a sociedade com Coxsone e buscar novas oportunidades.

Trabalhando com Joe Gibbs, também produtor jamaicano, Perry continuou sua carreira mas mais uma vez problemas financeiros causaram conflito. Perry associou-se à Gibbs e estreou sua própria label, a Upsetter, em 1968. Seu primeiro single ‘People Funny Boy’, que era um insulto dirigido a Gibbs, surpreendeu no volume de vendas. É inesquecível o uso inovador do som de um bebê chorando junto à batida que logo seria identificada como “reggae” – o gênero não tinha nome definido naquele momento.

Durante a década de 1970, quando muitas de suas músicas já eram bastante populares na Jamaica e no Reino Unido, Perry fez história também por suas técnicas de produção inovadoras e principalmente por seu caráter excêntrico. Ainda nessa década, o produtor foi um dos responsáveis pela mistura de técnicas que resultaram no dub. Em 1973, Perry construiu um estúdio em seu quintal, o The Black Ark, para ter mais controle sobre suas produções e continuou a produzir músicos notáveis como Bob Marley e Wailers, Junior Byles, The Heptones e Max Romeo. Com seu próprio estúdio à sua disposição, as produções de Perry se tornaram mais prodigas.

Em 1978, o estresse e as influências externas indesejadas começaram a incomodar; tanto Perry quanto o The Black Ark rapidamente começaram a ruir. Eventualmente, o estúdio pegou fogo. Perry constantemente insistiu que ele queimou “a arca negra” em um ataque de raiva, mas também foi dito que o incêndio poderia ter sido um acidente devido a fiação defeituosa. Após o fim do estúdio, no início da década de 1980, Perry passou algum tempo na Inglaterra e nos Estados Unidos, realizando shows e criando músicas com diversos colaboradores. E foi no final dessa década, quando ele começou a trabalhar com os produtores britânicos Adrian Sherwood e Neil Fraser (mais conhecido como Mad Professor), que a carreira de Perry começou a voltar às boas novamente.

Em 2003, Perry ganhou o Grammy de “Melhor Álbum de Reggae” com o álbum ‘Jamaican E.T.’. Em 2004, a revista Rolling Stone classificou Perry em sua lista dos 100 maiores artistas de todos os tempos. Mais recentemente, ele se associou a um grupo de músicos suíços e se apresentou sob o nome de Lee Perry e White Belly Rats, além de uma breve visita aos Estados Unidos com o grupo Dub is a Weapon da cidade de Nova York como sua banda de apoio. Atualmente, há dois filmes de longa-metragem feitos sobre sua vida e trabalho: Volker Schaner ‘Vision Of Paradise’ e ‘The Upsetter’.

Galpão 1 Erika Novachi Grupo de Dança é atração convidada do Passo de Arte

A Galpão 1 Erika Novachi Grupo de Dança é um dos grupos convidados da 25ª edição do Passo de Arte, que acontece entre 7 e 16 de julho, na sala Acrísio de Camargo, em Indaiatuba. A Cia. abre a noite do dia 11, às 19h30, com a coreografia Jazz in Concert.
De acordo com a diretora Erika Novachi, a proposta desta coreografia é reunir no palco diferentes estilos do jazz como Traditional Jazz, Contemporary Jazz, Lyrical Jazz e Jazz Dance, em uma apresentação que retrata o dia a dia, com encontros, desencontros, amores e desamores. “São diferentes sentimentos e diferentes sensações que nos acompanham num dia que pode ser normal ou não!”, ressalta a diretora.
Este trabalho é assinado pelas coreógrafas Pat Taylor, Luana Espíndola e por Erika Novachi, tem figurino de Vladimir Seneme, iluminação de Miguel Abílio de Paula e Iara Moraes como ensaiadora.

colorginarteurbana3

Neste domingo, dia 25 de junho, aconteceu a segunda ação do Museu de Arte de Rua – MAR, em Ermelino Matarazzo. Com o objetivo de apresentar a arte de rua como possibilidade de transformação social e humana, oferecer a técnica do estêncil como ferramenta de produção de arte visual, debater sobre o graffiti e pichação, bem como trabalhar com a arte junto à comunidade, os integrantes do projeto “Graffiti é Inclusão” se reuniram para pintar o muro do Centro de Educação Infantil Jardim Verônia. O Coletivo Oz, autor deste projeto, foi selecionado no Edital do Museu de Arte de Rua, lançado pela Prefeitura de São Paulo em março de 2017, e que conta com o apoio da Colorgin na doação das tintas.

Iniciado em 2013, o Coletivo Oz é composto pelos artistas Guilão, Zé Love e Thais Queiros. Através de desenhos lúdicos, o trio busca questionar padrões estabelecidos em relação aos temas raciais, de gênero, amor ao próximo e deficiência física. Vale destacar que este segundo projeto irá compor o Museu Arte na Rua (MAR), que conta com a série de oito painéis que serão desenvolvidos até o final do mês de julho. Durante o período, a Colorgin irá doar mais de cinco mil tubos de tinta spray da marca e latas de 18 litros de tinta acrílica.

mov

Dia 29 de junho, às 19h, a Faculdade Cásper Líbero irá promover o debate “O potencial da Transmídia no mercado de comunicação”. Aberto ao público, o evento irá mostrar como as novas mídias vêm conquistando o mercado e mudando a forma com que as pessoas consomem informações.

Diante desse cenário, a comunicação transmídia ganha espaço por oferecer ao público e às marcas uma experiência de comunicação segmentada e mais interativa.

Durante o encontro, os professores da Pós-graduação da Faculdade Cásper Líbero Dirceu Lemos, Julio Cesar e João Riva irão debater o tema em suas áreas de atuação sendo elas “criação, formatos e linguagem”, “produção de transmídia” e “análise de mercado e tendências” respectivamente.O evento será gratuito e as inscrições podem ser feitas pelo e-mail eventos@fcl.com.br.

Mentor Neto expõe suas fotos na Photoarts Gallery  

No dia 17 de junho, no Shopping Market Place, a Photoarts Gallery fará o lançamento de seis novos artistas, apresentando diferentes temáticas em seus trabalhos. Dentre eles está o publicitário Mentor Neto, atual CCO da Bullet, mas com passagens pela Almap, Thompson e outras agências.

Além dele, neste evento, serão mostrados os trabalhos do colombiano Alejandro Vasquez, o fotógrafo de natureza e diretor de criação André Figueiredo, a fotojornalista Bete Marques, Carol Rahal e Daniela Dragone.
 
As fotografias serão apresentadas em metacrilato de grande formato, fazendo com que as imagens apresentem uma vivacidade acima do normal. O observador terá uma experiência de imersão nos universos fotografados. A exposição será única, tendo este formato somente durante o evento e tornando-o imperdível.
Mentor apresentará um série de fotos mostrando diferentes ângulos sobre a cidade de São Paulo. Um curto depoimento de Mentor, sobre a exposição está no You Tube: https://www.youtube.com/watch?v=7t1czs6eiBo.

quarta-feira, 14 de junho de 2017
Gloria-Coelho-6

A estilista Gloria Coelho irá dividir com estudantes e profissionais da moda todo o seu conhecimento e experiência na criação de uma coleção durante o FASHION MEETING EXPERIENCE COM GLORIA COELHO. O evento será realizado no Hotel Unique, em São Paulo, no dia 24 de Junho de 2017.
Com um número limitado de inscrições, a ideia do curso é proporcionar uma experiência intensa durante seis horas de contato direto com a estilista. Gloria Coelho irá explicar aos participantes como é o seu processo de concepção, criação e produção de uma nova coleção englobando desde a escolha do tema, até a decisão das cores e materiais que serão utilizados e elaboração do book, catálogo e desfile.
Um desfile com peças de acervo de Gloria Coelho será realizado para que a estilista possa comentar a criação de cada uma das peças, mostrando na prática como toda essa teoria se manifesta e relembrando os destaques de sua trajetória.
O FASHION MEETING EXPERIENCE COM GLORIA COELHO tem o valor de R$ 1.200,00 (mil e duzentos reais) e as inscrições já podem ser feitas através do site www.fashionmeeting.com.br/gloriacoelho . Cada participante receberá um certificado ao final do curso.

Boiler

O Boiler Room é o mais relevante difusor de música underground do mundo. O projeto foi criado em Londres em 2010, e nele, os melhores DJs do mundo tocam para poucas pessoas com transmissão ao vivo pela internet. Reconhecido mundialmente e com uma vasta comunidade de fãs, o Boiler Room se juntou à Budweiser para promover uma série de eventos, intitulada “Discover What’s Brewing”.
 
Depois de passar por Mumbai, Santiago, Philadelphia, Los Angeles, Miami, Seoul, Bangalore, Nova Delhi, Denver, entre outras cidades, sempre apresentando DJs e bandas que passam por um vasto mix de cenas e subculturas musicais, chegou a hora do evento desembarcar no Rio de Janeiro, no dia 20 de junho.
 
Será uma noite para 450 convidados e pessoas que poderão se inscrever através de um site, A partir das 18h, o Boiler Room x Budweiser apresentará o supergrupo Jazzanova com Paul Randolph, radicado em Berlim; o combo paulistano Nomade Orquestra; o musicólogo holandês DJ Antal e o mestre dos grooves brazucas DJ Paulão.